A Infância e adolescência

Rajnath nasceu no Brasil e foi criado na cidade de Praia Grande, no litoral de SP. Durante a infância viveu na favela do Quietude com uma mãe viciada em crack. Foi um período muito difícil.

 

Apesar das condições adversas do ambiente começou a ler muito cedo, apenas com 3 anos de idade. O primeiro livro que leu foi “A Terceira Visão”, de Lobsang Rampa, o segundo foi "A Senda da Iniciação" de Samael Aun Weor e o terceiro foi "Eu Sou a Porta" de Bhagwan Shree Rajneesh, ainda com apenas 3 anos de idade. Logo tornou-se um ávido leitor de livros sobre filosofia, psicologia e religiões, iniciando assim uma busca pelo conhecimento que teria

3.

 

No início da adolescência Rajnath mudou-se para Joinville. Nesta cidade frequentou a Igreja Luterana, onde desenvolveu um grande amor e admiração por Jesus Cristo.

O Buda Vivo com 19 anos na FRATER

primeira comunidade alternativa do brasil

Desde os 14 anos o Buda Vivo trabalhou em empregos simples como segurança, carregador de bagagem em rodoviária, servente de pedreiro, vendedor ambulante de seguros, vendedor ambulante de sabonete líquido, garçom e caixa do Habib’s, uma rede brasileira de fast food de comida árabe. Todo o dinheiro que lhe sobrava de seu sustento (mora sozinho desde os 16 anos), Rajnath gastava com livros sobre meditação e filosofia oriental.

Com 16 anos decidiu que iria ter como principal meta de vida o Completo Despertar da Consciência custe o que custasse.  Ao resolver aprofundar-se escolheu o Zen Budismo como caminho.

 

Como na cidade de Joinville não tinha nenhum lugar onde fosse possível estudar o Zen, Rajnath aprofundou-se no Taoísmo através de uma família de chineses que possuía uma papelaria nesta cidade. Rajnath foi iniciado nesta tradição em Itajaí, SC, pelo mestre Lee Kwo Kwang, que veio de Taiwan para ministrar iniciações no Tao. Nesta época, ainda em Santa Catarina, Rajnath iniciou seus estudos da filosofia do Advaita Vedanta com o Swami Sunder Nirav.

 

Aos 19 anos, logo após concluir o curso técnico de Agricultura e Pecuária num internato da Universidade Federal de Santa Catarina, Rajnath decidiu que não iria seguir essa profissão nem ter nenhum anseio pela vida mundana.

 

Rajnath viveu por alguns meses como um monge laico no mosteiro zen budista Haku'unzan Zenkoji (Mosteiro das Nuvens Brancas), em Ibiraçu, ES. Depois peregrinou por diversas comunidades dedicadas ao desenvolvimento espiritual, como a Frater, a primeira comunidade alternativa do Brasil, situada em Pirenópolis, GO. Nesta cidade conheceu o mestre Ryotan Tokuda Igarashi Roshi, líder de um dos mais importantes mosteiros zen budistas do Brasil, com quem aprendeu muito e aprofundou seus estudos.

Aos 21 anos Rajnath voltou a morar no litoral paulista. Nesta época, era um autodidata no Yoga. Havia esgotado toda a literatura sobre o assunto em português e em inglês.

Nessa época Rajnath passou a ministrar aulas de Yoga em Santos, SP. Além de trabalhar como professor de Yoga também fez jobs como modelo fotográfico. Teve um relacionamento amoroso, chegou a noivar e experimentou as desilusões de uma vida comum.

Primeira palestra de Rajnath, com 23 anos

Nesta cidade, com 23 anos, proferiu sua primeira palestra, no Radio City Café discursando sobre o tema "Meditação e Zen Budismo". Desde os 16 anos tinha o desejo de palestrar, mas ninguém quis dar esta oportunidade para alguém tão jovem.

 

Ainda em Santos fundou o Templo do Yoga, que chegou a ter uma filial na cidade de Ilhabela, também no litoral paulista.

Rajnath, o primeiro à esquerda

Palestra sobre meditação no Curso de psicologia

da Universidade Católica de Santos

Aula de Pranayamas e Centramento Emocional

no Curso de psicologia

da Universidade Católica de Santos

Paralelo à dedicação ao Hatha Yoga, a meditação e ao autoconhecimento Rajnath também se dedicou intensamente a prática das Artes Marciais e é faixa preta em diversas modalidades. Além de várias outras modalidades onde se dedicou mas não chegou a faixa preta (às vezes porque algumas artes não possuem graduação) como Kyokushin, Krav Magá, Ninjutsu, Wrestling (onde trabalhou como árbitro) e Boxe.

O último à direita em pé, com curativo no rosto

Iniciou a prática de Bujutsu na cidade de Joinville-SC

Já na faixa preta de Bujutsu fazendo uma palestra-apresentação sobre a história da Arte Marcial no Festival da Cultura Japonesa em Santos

Vídeo de Rajnath fazendo uma apresentação de artes marciais

Recebendo o 5º Dan da faixa preta em Shintoryu Jujutsu

Faixa Preta 5º Grau em Shintoryu Jujutsu ("Jiujitsu Japonês")

 

Prajied nível preto (Kru) em Muay Thai

Faixa Preta 2º Grau em Gracie Jujutsu ("Jiujitsu Brasileiro")

 

Rajnath aprendeu o inglês sozinho numa época em que a Internet ainda não era comum. Recorreu às bibliotecas públicas e sebos. Comprava livros usados, aulas em fitas K7 e CDs. Graças a isso Rajnath conseguiu ter acesso a livros sobre Yoga em inglês, pois o material disponível em português sempre foi muito escasso e limitado. Somente em língua inglesa mais de mil livros passaram por suas mãos. Se não fosse pelo costume de doar os livros após a leitura, teria sido necessário um quarto inteiro só para guarda-los.

Foi então que entrou em contato com o livro “Eu Sou Aquilo”, de Shri Nisargadatta Maharaj, obra que contém a essência do Advaita Tantra e a origem do conhecimento do Zen Budismo e do Vedanta. Decidiu então dedicar-se inteiramente a essa filosofia.

Quando sua condição financeira melhorou, Rajnath pensou em fazer um curso de formação de professores de Yoga. Não encontrou nenhum curso no Brasil que oferecesse algo que ele já não tivesse encontrado nos livros. Logo percebeu que o real conhecimento do Yoga ainda não havia chegado ao Brasil e que precisaria buscá-lo fora. Seu destino era a Índia.

 

Quando chegou à Índia, Rajnath viu que as escolas mais populares entre os turistas ocidentais não ofereciam o conhecimento real do Yoga. Só encontrou isto entre os sadhus, os monges renunciantes, em especial aqueles pertencentes à tradição que deu origem ao Hatha Yoga, a Natha Sampradaya.